Como economizar nas despesas condominiais

Aparentemente, é complicado reduzir as despesas do condomínio. Quanto mais o tempo passa, mais as contas tendem a crescer, em virtude de manutenções no prédio ― como as feitas em interfones e elevadores ―, uso excessivo de água e despesas com funcionários. Administrar, seja o que for, é extenuante e exige planejamento.

A cooperação entre todos pode resultar em grandes benefícios para o desempenho do síndico e na redução das contas do condomínio. Neste post, descreveremos algumas possibilidades para economizar no condomínio. Confira!

 

O maior vilão é o consumo de água

Por isso, é preciso procurar formas de reduzir essa conta por meio da conscientização dos moradores. Há várias alternativas: revisão das instalações hidráulicas do prédio, a opção por um poço artesiano e um projeto de irrigação para o jardim, eliminando desperdícios de água.

Com relação aos condôminos, é necessário que haja uma constante comunicação e demonstração da necessidade emergente em se reduzir o consumo de água, cuidando para evitar desperdícios, como deixar torneiras abertas desnecessariamente.

Para quem tem gatos como animais de estimação, por exemplo, é interessante adquirir uma fonte de circulação de água, evitando deixar torneiras abertas para o pet tomar água.

 

O consumo de energia elétrica

As bombas de água e o elevador são os maiores responsáveis por esse gasto. Dependendo da localização do prédio, número de andares e a distância da rede de distribuição municipal de água, é possível eliminar as bombas para esse fim, por meio de uma canalização de água mais moderna.

Há também o consumo interno com lâmpadas nas áreas de circulação do condomínio. A substituição de lâmpadas comuns por lâmpadas de LED pode representar grande economia.

 

O telhado

O telhado é um ponto importante a se considerar, devido às transformações do clima do planeta e ao aumento de tempestades com alto volume de água. Rachaduras na fachada e calhas sujas ou mal dimensionadas para essa situação podem ocasionar infiltrações de água ou alagamentos, prejudicando o elevador e demais dependências. O ideal é que seja realizada uma manutenção preventiva programada.

Caso o telhado esteja muito velho, o melhor é substituí-lo, pois a manutenção gera gastos expressivos. A explicação para isso é que cada vez que um morador notificar anomalias ao seu porteiro, é obrigação do síndico mandar consertar.

 

Elevador

A reclamação é geral se o elevador estiver em manutenção. Todos pensam em sua comodidade, poucos se preocupam com as despesas. Afinal, muitos condôminos apenas procuram o síndico quando têm algo para reclamar.

Por isso, o ideal é que sejam realizadas manutenções preventivas dos elevadores, uma vez que manutenções corretivas, além de gerarem custos mais elevados, demandam mais tempo para sua realização.

 

Ações que podem auxiliar o síndico 

A comunicação facilitada entre todos os moradores pode ser de grande utilidade. Possibilita que os condôminos tomem conhecimento sobre o Plano de Prevenção de Incêndio (PPCI), a manutenção dos extintores, o alarme de incêndio, a iluminação de emergência, entre outras questões.

Além disso, é preciso demonstrar a justificativa das despesas do condomínio e a possibilidade de fazer as pessoas entenderem a necessidade de trabalharem em conjunto para baixar a conta condominial ou criar um fundo de reserva suficiente para as manutenções preventivas.

O uso de apps pode abrir um caminho importante para a gestão participativa do condomínio. A comunicação direta entre síndico e moradores pode gerar oportunidades de ajeitar as pequenas desavenças. É a tecnologia chegando aos condomínios e facilitando a convivência entre a comunidade.

Gostou deste post? Então compartilhe-o nas suas redes sociais e faça com que mais pessoas saibam como diminuir as despesas.

Fonte: Condlink

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *