Posts

Saiba quais são os principais acidentes domésticos e como evitá-los

Acidentes domésticos são mais comuns do que se imagina. A boa notícia é que, em grande parte dos casos, esse tipo de ocorrência pode ser evitado com algumas medidas simples. Veja, a seguir, algumas dicas de como prevenir.

Queimaduras no fogão

Um dos grandes perigos da casa está na cozinha: o fogão. Os casos de queimaduras domésticas são muito comuns.

A maioria dos acidentes com queimaduras envolve crianças pequenas, que, por curiosidade e desaviso, mexem nas panelas que estão no fogão e acabam por virá-las sobre si.

Uma forma de evitar acidentes assim é sempre manter os cabos das panelas virados para dentro, desse jeito a criança não alcançará para puxá-las nem correrá o risco de passar por perto e bater no cabo da panela, derrubando-a.

Inalação de gás

Crianças pequenas costumam se encantar com os botões do fogão, e mexer neles é tentador. O problema é que a criança pode causar um vazamento de gás sem que o adulto responsável por ela perceba.

Para evitar esse risco, mantenha o registro do gás fechado sempre que não estiver em uso. Se o seu gás não for encanado, instale o botijão em uma área externa, assim, caso aconteça algum vazamento diretamente dele, não haverá perigo de explosões e intoxicação por inalação de gás.

Intoxicação com produtos de limpeza

Intoxicação com produtos de limpeza também é uma ocorrência muito comum com crianças pequenas. Armazenar produtos de limpezas em lugares de fácil acesso para as crianças é um convite para explorar, e é aí que mora o perigo.

Não são raros os casos em que crianças conseguem abrir a embalagem dos produtos e acabam por ingeri-los, intoxicando-se gravemente.  Caso isso ocorra, a recomendação é ir com a criança imediatamente a um Pronto Socorro. Não se esqueça de que é importante levar, também, a embalagem do produto.

O ideal, no entanto, é evitar acidentes como esse, procurando sempre armazenar produtos de limpeza em lugares aos quais a criança e animais domésticos não tenham acesso, sempre no alto. Se isso não for possível, coloque trincos ou cadeados nas portas dos armários.

Quedas

Quedas são comuns em qualquer fase da vida, mas no caso de quem é idoso, uma simples queda pode se tornar um grande problema devido à fragilidade dos ossos.

Algumas medidas simples vão ajudar a prevenir essa situação:

  • Tapetes devem ser evitados, mas caso sejam indispensáveis dê preferência aos antiderrapantes que grudam no chão e não oferecem risco de escorregar ao pisar;
  • coloque corrimão nas escadas para dar apoio na hora de subir e descer;
  • barras também devem ser colocadas no banheiro ao lado do vaso sanitário e nas paredes próximas ao chuveiro;
  • deixar todos os cômodos sempre bem-iluminados também pode fazer a diferença na hora de enxergar obstáculos no caminho.

Com esses cuidados simples, sua casa pode se tornar um ambiente muito mais seguro, trazendo mais proteção para você e quem você ama. Em todo caso, é sempre bom ter garantias para quando algo acontecer, por isso não deixe de fazer um seguro residência para que você esteja resguardado de acidentes e conte com apoio a qualquer momento!

 

Fonte: Meu Porto Seguro

3 riscos do vazamento de gás

Evite os riscos trazidos por problemas nos aquecedores, no fogão ou manuseio incorreto do botijão de gás.

Explosão e incêndio

O gás é uma substância altamente inflamável, daí sua utilidade em fogões e aquecedores. Uma simples faísca é capaz de gerar uma explosão e ainda aumentar o risco de um incêndio.

Asfixia

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o GLP (ou gás liquefeito de petróleo, como também é chamado o gás de cozinha) não tem odor próprio, e o cheiro que sentimos quando há um vazamento é causado por um produto adicionado ao gás justamente para que possamos detectar quando há algo de errado. E apesar de não ser tóxico, o gás pode causar asfixia, já que respirá-lo significa inspirar menos ou nenhum oxigênio.

Aumento na conta

Além dos riscos mencionados acima, mesmo quando o vazamento é pequeno, ele aumenta sua despesa com gás, já que o GLP vazado é desperdiçado.

Aumentos significativos na conta de gás ou na frequência de troca dos botijões, portanto, podem apontar para um vazamento no local. Fique atento a sua conta para detectar se há algo de estranho, dessa forma, você pode resolver o problema antes que ele se agrave.

Como detectar o vazamento de gás

Além do aumento nos gastos com o GLP e o cheiro característico, existem outras evidências do vazamento de gás:

-Passe uma esponja com água e sabão nas conexões, se aparecerem bolhas, é sinal de vazamento.

-Feche as válvulas ou os registros perto dos aparelhos de gás e confira, durante 20 minutos, se ainda assim há algum consumo.

-Tubulações de gás enferrujadas também podem ser sinônimo de problemas.

O que fazer em caso de vazamento

Se a hipótese do vazamento for confirmada, siga os passos a seguir:

-Imediatamente, feche o registro ou a conexão de gás.

-Evite encostar em aparelhos elétricos e interruptores do local.

-Os ventiladores não podem ser utilizados de forma alguma, já que podem soltar faíscas.

-Caso seu gás seja encanado, entre em contato com seu fornecedor. Do contrário, ligue para os bombeiros pelo 193 e acione também a companhia que forneceu seu botijão.

Como prevenir o problema

A instalação de gás mal realizada é tão grave quanto a precariedade de uma rede elétrica. Para prevenir problemas, o gás, em botijão ou encanado, bem como os aparelhos que o utilizam, deve ser instalado por um profissional em um local onde haja boa ventilação para que se dissipe no caso de um vazamento. Fazer uso de gás em um lugar fechado é extremamente arriscado.

Agora que você já sabe como identificar e prevenir o vazamento de gás e conhece também os riscos que esse problema pode trazer, compartilhe as dicas com seus amigos e familiares, assim, todos ficam atentos protegidos!

Fonte: Meu Porto Seguro

Como o Seguro Fiança pode ajudar na hora de alugar um imóvel

Na hora de alugar um imóvel, uma as principais questões é a necessidade de um fiador para fechar o negócio, certo? Por isso, é essencial que todos conheçam a importância do Seguro Fiança, uma excelente opção para a hora de assinar o contrato do seu novo lar.

Para as imobiliárias e administradoras que já disponibilizam esse serviço, é imprescindível que suas vantagens sejam destacadas. A principal delas, com certeza, é a saúde da sua carteira, uma vez que a seguradora se torna a principal pagadora do contrato, após o cliente passar pelo seu crivo e ser aprovado. Isso significa que, em uma eventual inadimplência por parte do contratado, contando um período de 60 dias para abertura do sinistro, a seguradora passa a arcar, retroativamente, com as despesas que se acumularem. A empresa cuidará das contas em atraso, colocando prestações de aluguel e condomínio em dia, além, é claro, das contas mensais, até que a negociação amigável ou, em casos extremos, o despejo, sejam feitos.

É válido ressaltar que o Seguro Fiança não é um produto novo no Mercado, mas está atualizado. Entre suas novidades, a principal é a queda de seu preço, já que antes era muito caro, o que podia atrapalhar a sua contratação. Agora, com os diferentes produtos ofertados ao locatário, diversas formas de pagamento e maneiras de contratação, o Seguro Fiança tornou-se muito mais viável para a maioria das pessoas.

Para os locatários, o principal motivo de adesão ao seguro seria evitar a necessidade, muitas vezes constrangedora, de conseguir um fiador para seu imóvel. Além disso, o pagamento pode ser feito, por exemplo, diretamente à imobiliária, através de boletos ou cartão de crédito, à vista ou parcelado. É muito mais segurança e tranquilidade em um momento conturbado de negociação.

Com isso, vale ressaltar que a locação será resguardada, mantendo uma relação mais tranquila entre o cliente e a imobiliária ou administradora, ainda que aconteça algum imprevisto.

Esperamos que, com este post, tenha ficado ainda mais claro do que se trata o Seguro Fiança, qual a sua importância e quando deverá ser utilizado. Se, ainda assim, persistir alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco. Nossa equipe terá um grande prazer de atendê-lo.

Atenção à segurança do condomínio durante o carnaval!

,

Durante o carnaval, algumas pessoas aproveitam os dias pra viajar, deixando suas casas vazias, já outras recebem amigos e familiares em casa… Seja como for, o fato é que, nesse período, o fluxo e a dinâmica dos condomínios mudam. No post de hoje, trouxemos dicas de segurança para essa época.

Os prédios comerciais e, principalmente, residenciais, sofrem um verdadeiro desafio durante os dias de folia. Além dos visitantes conhecidos, os números de aluguéis por temporada se intensificam, gerando ainda mais movimentação no prédio, e de gente, muitas vezes, desconhecida por todos.

Muitas pessoas aproveitam as comemorações na rua, indo a blocos e festas, por exemplo, enquanto outros gostam de receber gente em casa, para comemorar – por vezes, fazem os dois, no popular esquenta feito na casa de alguém antes de um grupo de amigos sair para algum lugar.

Além disso, ainda há quem assista aos desfiles da Sapucaí, que começam à noite e acabam na manhã seguinte… Enfim, comemorações não faltam e, com isso, o entra e sai nos condomínios é grande, o que requer atenção redobrada, principalmente dos funcionários de portaria e zeladoria.

Ainda há aquelas pessoas que não gostam da “bagunça” e aproveitam esses dias para descansar. Por isso, para que a paz no condomínio seja mantida, todos devem ter respeito e bom senso, zelando pela boa convivência. De qualquer maneira, há algumas recomendações que ajudam nesse momento. Confira:

Aos condôminos e visitantes:

  • Nunca deixe as chaves do apartamento/carro na portaria ou com o zelador;
  • Ao sair, sempre verifique se portas e janelas estão bem trancadas;
  • Se você for viajar e precisa que alguém molhe plantas e/ou cuide de animais de estimação, entregue a chave a alguém de confiança, deixando, por escrito, ao síndico e à administradora, uma autorização, permitindo que a pessoa, identificando-se, entre no prédio e em sua unidade;
  • Ainda falando sobre quem vai ficar uns dias fora, se a viagem for um pouco mais longa, desligue a chave geral no quadro de força, além de fechar os registros de água e gás, evitando vazamentos.

Ao síndico e funcionários do prédio:

  • A segurança deve ser reforçada, inspecionando os circuitos de câmeras e alarme, caso o condomínio tenha esses equipamentos, garantindo que sua manutenção esteja em dia;
  • O rigor na entrada de pessoas estranhas no prédio deve ser maior, já que muitos bandidos se aproveitam desse período para realizar furtos e roubos;
  • No caso de hóspedes temporários (aluguéis por um curto período de tempo), eles devem ser devidamente identificados, com informações cedidas, previamente, pelo locador, ao síndico, que repassará aos funcionários do prédio;
  • As vagas de garagem devem ser constantemente fiscalizadas pelos funcionários, tanto as dos moradores, como as dos visitantes, evitando quaisquer irregularidades;
  • Nos condomínios com grandes áreas externas, um funcionário deve fazer rondas periódicas nesses locais, principalmente no período noturno;
  • Ao lidar, na portaria ou calçada do prédio, por qualquer motivo que seja, com foliões, que, nesse período, costumam perder um pouco a noção, tenha paciência, evitando discussões no caso de alguma ocorrência.

Nós garantimos que, com o auxílio das informações e sugestões que trouxemos nessa matéria, o seu condomínio, o síndico, os moradores, locatários, visitantes e os funcionários ficarão em paz, enfrentando os dias de folia com muito mais tranquilidade e alegria. #FicaADica

 

Você sabe o que é a Vistoria de Constatação?

,

Resolvemos abordar, na matéria de hoje, um tema que pode não ser tão conhecido: a Vistoria de Constatação. Você a conhece e sabe qual a sua finalidade?! Se quer entender melhor essa modalidade, descobrindo o porquê e quando é usada, continue lendo o post!

A vistoria é um serviço especializado de inspeção de imóveis (residenciais ou comerciais), garantindo a máxima agilidade e segurança nos contratos de locação. Por meio dela, é avaliado o estado de conservação do imóvel, através da análise de itens como, por exemplo, o piso, parede, teto e instalações elétrica e hidráulica.

De acordo com a Lei do Inquilinato 8245/91, o locador deve disponibilizar o imóvel de forma que atenda ao uso a que se destina, apresentando também, ao locatário, uma descrição minuciosa de todos os possíveis defeitos do imóvel. Essa é a responsabilidade do locador.

O locatário, por sua vez, tem o dever de devolver o imóvel, quando o desocupar, no estado que foi entregue pelo locador. Assim, a vistoria serve para amparar essas questões, averiguando tudo e minimizando os conflitos entre locadores e locatários, evitando, inclusive, litígios jurídicos.

Dentre as vistorias, existem três tipos:

  • A Vistoria Inicial, realizada antes da locação;
  • A Vistoria de Constatação, durante;
  • E a Vistoria de Saída, realizada ao final.

A Vistoria de Constatação é feita no período em que o locatário está ocupando o imóvel. Ela tem o objetivo de discriminar e constatar possíveis benfeitorias e obras executadas no local, justamente no período de vigência do contrato. Assim diferencia-se da Inicial e da de Saída.

É comum que as imobiliárias utilizem seus funcionários para realizar essas vistorias, porém, é extremamente importante que esse serviço seja feito por uma empresa e profissionais responsáveis, evitando erros e otimizando o tempo dos funcionários da própria imobiliária.

Ao ser realizada por uma empresa terceirizada e especializada no assunto, oferece-se maior credibilidade às partes interessadas (locador e locatário), além da garantia de qualidade dos laudos, que são feitos por uma equipe treinada e capacidade para sua elaboração.

Consequentemente, as administradoras utilizarão melhor o tempo de seus funcionários, que o aproveitam para realizar outras atividades quaisquer, além de ganhar maior qualidade no serviço, diminuindo os possíveis prejuízos decorrentes de mau uso dos imóveis.

E então, deu para entender o que, exatamente, é a Vistoria de Constatação, para que serve e a grande importância de ser feita por profissionais adequados, através de uma empresa terceirizada?! Esperamos que tenhamos conseguido transmitir todos esses pontos. Qualquer dúvida, é só nos perguntar!

Seguro Proteção da Cota Condominial

Resolvemos falar, na matéria de hoje, sobre o Seguro Proteção da Cota Condominial. Você conhece essa modalidade, sabe o que é e quando é utilizada?! Para esclarecer essas e outras dúvidas, continue lendo o post que preparemos, a seguir, e fique por dentro!

Esse seguro, que é destinado tanto a locadores, como a locatários, sem nenhuma restrição de idade, garante que a taxa condominial do segurado continue sendo paga em casos, por exemplo, de morte, invalidez ou perda de renda por desemprego involuntário.

Aqui cabe, ainda, uma observação: caso o segurado tenha mais de 65 (sessenta e cinco) anos, a indenização será equivalente a 50% do capital segurado, o que representa três meses das cotas condominiais da sua unidade.

Ele é, realmente, muito importante, pois os cenários político e econômico vêm sendo, há algum tempo, desmotivantes e imprevisíveis, e, portanto, esse seguro foi desenvolvido com o objetivo de proteger o pagamento das cotas condominiais não só ordinárias, como extraordinárias.

Já que a economia e a sociedade não estão em seus melhores dias (sendo bem sutil, não é verdade?!), com taxas e impostos altos, insegurança constante, desemprego, altos índices de violência, além de diversos outros problemas, esse seguro aparece como uma solução de proteção a imprevistos.

Dessa maneira, no caso de alguma situação imprevista e inevitável, como as mencionadas no começo do post, acontecer, o segurado poderá continuar em dia com o pagamento de suas obrigações condominiais (cobranças mensais ordinárias e extraordinárias), evitando a inadimplência.

Entre os diferenciais desse seguro, estão:

  • Certificado da Seguradora

Sendo emitido um certificado individual pela seguradora, disponível em até 15 (quinze) dias após o pagamento do boleto com o valor do seguro incluso.

  • Valor Pré Fixado

A análise do perfil do cliente não influenciará no custo do seguro, já que ele é baseado no valor das taxas condominiais e não incide sobre os encargos legais.

Esperamos que as informações que trouxemos aqui tenham sido esclarecedoras e, mais do que isso, que tenham conseguido transmitir a grande importância que esse seguro tem, principalmente nos dias atuais, como mencionamos. Qualquer dúvida, nem pense duas vezes, nos pergunte!

 

Você sabe o que é… Título de Capitalização?

Na matéria de hoje, falaremos sobre uma modalidade de garantia locatícia que não é tão famosa quanto, por exemplo, o fiador, mas que tem suas vantagens. Ainda não conhece?! Continue lendo o post e fique por dentro das características, diferenciais e benefícios desse modelo, a seguir!

O seguro-caução e o fiador são as formas mais conhecidas de garantias de aluguel, no Brasil. Porém, além dessas, existem várias outras maneiras de assegurar o dono do imóvel na hora de alugar sua propriedade, quanto ao recebimento do aluguel, e o Título de Capitalização é uma delas.

É uma garantia muito eficiente, uma vez que possibilita o aumento do múltiplo dos valores de aluguéis e taxas condominiais, aplicados como garantia da locação. Isso dependerá de cada pessoa, o que explicaremos melhor abaixo. Esses valores ficam caucionados no Título e ao contrato locatício.

Os valores não podem ser resgatados durante a locação em vigência. Só depois que o contrato de locação acaba, caso não haja nenhum dano constatado, o locatário recebe esse dinheiro de volta, acordado no Título de Capitalização, com as correções incidentes.

Durante a locação, alguma são as vantagens, para ambas as partes (locador e locatário), como, por exemplo:

  • Assessoria jurídica locatícia

Contratando um título a partir de R$ 6 mil, já se tem, automaticamente, direito a assistência jurídica locatícia gratuita, oferecida pela seguradora.

  • Assistência residencial 24 horas

Para você ficar tranquilo e seguro em seu lar.

  • Você como seu próprio fiador

Dessa forma, evitam-se constrangimentos com outras pessoas (que seriam seus fiadores), além de não ter perda de dinheiro, resgatando-o ao final do contrato.

Funciona, resumidamente, da seguinte maneira: a partir do momento que você compra um Título de Capitalização, ele se torna seu patrimônio. Você pode, inclusive, renová-lo, ao final de uma locação, para utilizá-lo para outro contrato locatício, sem a necessidade de fazer um novo.

O valor do Título de Capitalização variará com relação a cada cliente. Para calcular o valor necessário ao Título para aquele contrato em questão, são levados em consideração o perfil financeiro do cliente e os riscos de inadimplência daquela negociação.  

Então, analisando-se o comportamento financeiro daquela pessoa (cliente) no mercado, além de todo um apanhado de informações feito pela própria imobiliária, define-se o quanto de múltiplos de valores de aluguel e taxas devem ser solicitados àquele locatário.

Portanto, até as pessoas que apresentam maior risco podem utilizar esse recurso, deixando garantias maiores, proporcionalmente. E, com isso, mais contratos são fechados, já que a imobiliária e o locador ficarão assegurados, diminuindo o risco e convertendo em locações efetivas.

E então, o que você achou dessa forma de garantir o pagamento do aluguel e das taxas condominiais? Esperamos que tenha entendido todas as informações que trouxemos, esclarecendo essa modalidade, e gostado dessa alternativa. Se tiver qualquer dúvida, não hesite em nos perguntar!

Como deixar a casa mais segura?

A segurança é uma preocupação constante entre muitos brasileiros, principalmente porque os níveis de violência têm aumentado, tornando-se ainda mais preocupantes. Por isso, resolvemos tentar te ajudar de alguma forma, trazendo, no post de hoje, dicas de como deixar sua casa mais segura. Confira a seguir!

  • Caso você vá fazer uma viagem, deixando o imóvel sozinho, peça para amigos ou familiares de confiança passarem na sua casa com certa frequência, regando as plantas existentes e movimentando o local;
  • Em contrapartida, não comente com estranhos sobre qualquer período de ausência, evitando “curiosos”. Se possível, desligue a campainha do imóvel, evitando um truque em que as pessoas tocam apenas para testar se há pessoas na casa ou se ela está vulnerável.
  • Em qualquer circunstância, não deixe muito dinheiro e joias e objetos de valor em casa. Utilize os cofres dos bancos, por exemplo.
  • Caso você tenha um jardim, mantenha-o sempre limpo e organizado, evitando a sensação de abandono, que pode atrair bandidos.
  • Utilize câmeras na frente da casa e nas áreas de entrada dela, assegurando-se e inibindo mal intencionados.
  • Além disso, a iluminação também é um fator muito importante. Utilizando spots com LED, que gastam bem pouca energia, deixando algumas áreas acesas durante toda a noite.

E então, o que você achou de nossas sugestões? Já seguia alguma (s) dessas medidas?! Tem outras dicas?! Se sim, divida-as com a gente e, dessa forma, nos ajude a transformar outros lares em locais seguros e mais protegidos de ações de bandidos.

Você sabe o que é? Seguro compreensivo do condomínio

Na matéria de hoje, resolvemos falar sobre um assunto que pode gerar muita confusão e dúvidas nas pessoas: o Seguro Compreensivo do Condomínio. Você conhece essa modalidade de seguro e a forma como ela é aplicada?! Continue lendo o post e saiba mais sobre o tema!

O Seguro Compreensivo do Condomínio é obrigatório (por decreto – Lei número 73/66 e número 10.406/200), podendo ser usado em todos os tipos de condomínio, seja puramente residencial, residencial com escritórios e consultórios, residencial com comércio, flat/apart hotel ou empresarial.

De acordo com o Código Civil, o síndico é a pessoa responsável tanto por contratar, como por renovar esse seguro e, dessa forma, pode ser acionado, inclusive judicialmente, em caso de erro ou omissão, respondendo pela negligência. Isso ressalta a importância da sua contratação.

Ele garante o condomínio contra o risco de destruição, cobrindo danos ocorridos à estrutura do prédio causados por incêndio, raio ou explosão, abrangendo tanto as áreas comuns, como as unidades independentes, e também os bens de propriedade do condomínio, como móveis, elevadores, equipamentos e objetos de decoração.

Nos condomínios horizontais, apenas as áreas comuns devem ser seguradas, já que cada condômino é responsável pela construção de sua própria unidade, adquirindo a cota do terreno, que fica sob sua inteira responsabilidade, e uma fração da área comum.

De forma resumida, a contratação do Seguro Compreensivo do Condomínio simples abrange as seguintes situações:

  • Incêndio;
  • Queda de raio;
  • Explosão;
  • Fumaça;
  • Queda de aeronaves.

Já a contratação ampla, conforme determinado pela CNSP 218, garante perdas e/ou danos materiais causados à edificação e partes comuns do imóvel segurado. Não estarão cobertos bens que representem conteúdo do condomínio, empregados, síndicos, condôminos e seus familiares.

Além disso, podem ser contratadas coberturas acessórias, como, por exemplo:

  • Alagamento e inundação;
  • Danos elétricos;
  • Desmoronamento;
  • Vendaval;
  • Impacto de veículos de terceiros;
  • Furto de bens com arrombamento e roubo;
  • Vazamento de tanques e tubulações.
  • Responsabilidade civil (síndico, condomínio, danos morais, portões automáticos, garagista)
  • E muito mais…

A transparência é garantida, já que é possível acompanhar, virtualmente, cada etapa, desde a contratação até o cotidiano das operações, com acesso a painéis de informações, certificados, apólices etc., além de atendimento especial, com canais exclusivos para esclarecimento dúvidas e troca de informações.

Para saber mais, acesse o Base Market: https://goo.gl/vkVVpw

Esperamos que você tenha gostado de todos os dados que trouxemos hoje, evidenciando a importância de deixar certa a contratação e manutenção do Seguro Compreensivo do Condomínio, independente do tipo de utilização dada ao seu condomínio. #FicaADica