Posts

Como proteger a sua casa de incidentes?

,

Além das pessoas que amamos, normalmente, nossos bens mais preciosos ficam em casa. Por isso, é importante garantir a segurança de nosso lar. Atualmente, isso pode ser resolvido com equipamentos e ferramentas de segurança, que podem ajudar a ter um controle maior sobre a residência. Confira os principais!

  1. Câmeras de segurança: elas são ótimas opções para quem quer proteger seu patrimônio, já que monitoram e gravam imagens de vários pontos estratégicos ao mesmo tempo. Assim, as pessoas que estão circulando por esses ambientes estão sendo vigiadas, o que pode ajudar a inibir atos criminosos.
    E o melhor: em alguns sistemas, é permitido o acesso à distância, via internet, no computador ou em app de celular. Com isso, o conforto e a praticidade são aliados à segurança.
  2. Cerca elétrica: é outro dispositivo bastante utilizado, principalmente em casas e ao redor de condomínios. Ela tem a função de repelir possíveis invasores com um choque não letal, mas que gera um incômodo que tende a fazer com que o invasor vá embora. A cerca elétrica dispara quando um fio é rompido ou aterrado.
  3. Alarmes: em determinados horários, os alarmes monitoram a movimentação no ambiente, emitindo sinais de emergência silenciosos. Assim, ele avisa ao dono sobre alguma ação suspeita no imóvel onde está instalado.
  4. Sistema de detecção de incêndios: estes sistemas garantem que incêndios sejam percebidos rapidamente, evitando que ele se alastre e facilitando que a casa seja evacuada. Eles podem ser químicos, ópticos, por aspiração, entre outros, e, no geral, funcionam a partir da identificação de fumaça ou altas temperaturas.
  5. Seguro Residencial: para resguardar possíveis prejuízos causados por roubos, furtos, incêndios, desmoronamentos e muitos outros motivos, a contratação de um seguro residencial é muito indicada. Na hora de contratá-lo, fatores como o índice de assaltos na região, a incidência de chuvas, possibilidade de desmoronamentos (e outros) devem ser levados em consideração.

Você já conhece as nossas opções de Seguros Residenciais? Acesse a área no site e confira qual é o melhor para você: https://www.o2seguros.com.br/seguros/

Saiba como proteger sua casa de chuvas e temporais

Em questão de poucos minutos, o dia se transforma em noite: o céu ensolarado dá lugar a nuvens escuras e extremamente carregadas. Para algumas pessoas, o prenúncio de que chuvas e temporais estão a caminho é um motivo para ficar alerta.

Tamanha preocupação se justifica: os estragos provocados podem ser devastadores, especialmente para quem vive em regiões de risco. Mesmo que este não seja o seu caso, a adoção de algumas medidas preventivas é sempre prudente.

Afinal de contas, é compreensível que as pessoas queiram proteger sua casa da fúria da natureza. Neste post, listamos alguns cuidados essenciais para assegurar a integridade de sua família e de seu patrimônio.

Feche todas as janelas

Embora existam serviços especializados, vale lembrar que nem sempre a previsão do tempo é infalível. Ainda que os meteorologistas tenham alertado para a ocorrência de chuvas, a água pode cair com mais intensidade do que o esperado.

Especialmente no verão, é comum que o volume estimado para um mês inteiro seja registrado em poucos dias, ou mesmo em algumas horas. Na estação mais quente do ano, chuvas e temporais costumam ser frequentes.

Assim, a primeira orientação é fechar as janelas, tão logo o tempo comece a escurecer. Sempre que não houver ninguém na residência, faça isso antes de sair: em caso de uma viagem prolongada, tome também outros cuidados. Afinal de contas, bastam alguns minutos de água caindo para provocar um estrago.

Na melhor das hipóteses, a sua distração vai lhe render “apenas” o trabalho de secar o chão. Num cenário mais catastrófico, porém, objetos que estão próximos à janela podem ser inutilizados pela infiltração da água. A umidade também é prejudicial para pisos de madeira e carpetes.

Desconecte aparelhos da tomada

Outra dica bastante útil dentro de casa é desconectar aparelhos eletrônicos da tomada. Essa é uma providência necessária para evitar que eles sejam queimados pela sobrecarga de energia.

E as estatísticas mostram que há fundamento para se preocupar. Levantamento do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT), mantido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta que o Brasil é líder mundial na incidência de raios por ano.

Mais comuns na primavera e no verão, o país atinge a impressionante marca de 50 milhões de descargas elétricas neste intervalo de tempo. Para efeito de comparação, o impacto provocado por um relâmpago é mil vezes mais potente do que a corrente elétrica que passa pelo fio de um chuveiro.

Para casos de apagões, tenha em mãos sempre uma lanterna ou então geradores de pequeno porte. Embora relativamente comum nesta situação, o uso de velas para iluminar o ambiente não é recomendável, tendo em vista o risco de acidentes por descuido no manuseio.

Limpe calhas e ralos

Visando evitar dores de cabeças provocadas por chuvas e temporais, providencie também a limpeza de calhas e ralos, para permitir o escoamento da água. O acúmulo de galhos e folhas provoca o entupimento, ampliando as chances de ocorrer um transbordamento.

Quanto aos pisos, são dois os cuidados básicos: recomenda-se a opção por modelos antiderrapantes para amenizar o risco de acidentes por conta do chão molhado, especialmente quando há idosos ou pessoas com mobilidade reduzida. Do mesmo modo, o ideal é que o caimento favoreça o fluxo do líquido até os ralos.

Invista em manutenção periódica

Outro ponto importante é investir em uma manutenção periódica. Assim, será possível verificar continuamente o estado da fiação elétrica — essa medida afasta o risco de um curto-circuito — bem como a existência de umidade e infiltrações nas paredes.

Também como medida preventiva, confira a conservação dos telhados, estrutura da casa que mais costuma ser atingida com os temporais. Com o auxílio de uma escada, verifique se as telhas estão intactas e bem encaixadas. Constatada alguma falha, providencie a substituição imediata das peças com defeito.

Caso contrário, podem surgir os conhecidos pontos de goteiras. Outra solução para esta área é a aplicação de produtos impermeabilizantes ou a substituição de telhas de cerâmica pelas de cimento, reconhecidas por sua durabilidade.

Na lista de itens que devem ser periodicamente revisados também estão os vidros. Com a força dos ventos, é possível que eles se quebrem, gerando estilhaços por toda a proximidade, o que pode se transformar em um grave acidente caso haja alguém por perto.

Fonte: Meu Porto Seguro

Saiba quais são os principais acidentes domésticos e como evitá-los

Acidentes domésticos são mais comuns do que se imagina. A boa notícia é que, em grande parte dos casos, esse tipo de ocorrência pode ser evitado com algumas medidas simples. Veja, a seguir, algumas dicas de como prevenir.

Queimaduras no fogão

Um dos grandes perigos da casa está na cozinha: o fogão. Os casos de queimaduras domésticas são muito comuns.

A maioria dos acidentes com queimaduras envolve crianças pequenas, que, por curiosidade e desaviso, mexem nas panelas que estão no fogão e acabam por virá-las sobre si.

Uma forma de evitar acidentes assim é sempre manter os cabos das panelas virados para dentro, desse jeito a criança não alcançará para puxá-las nem correrá o risco de passar por perto e bater no cabo da panela, derrubando-a.

Inalação de gás

Crianças pequenas costumam se encantar com os botões do fogão, e mexer neles é tentador. O problema é que a criança pode causar um vazamento de gás sem que o adulto responsável por ela perceba.

Para evitar esse risco, mantenha o registro do gás fechado sempre que não estiver em uso. Se o seu gás não for encanado, instale o botijão em uma área externa, assim, caso aconteça algum vazamento diretamente dele, não haverá perigo de explosões e intoxicação por inalação de gás.

Intoxicação com produtos de limpeza

Intoxicação com produtos de limpeza também é uma ocorrência muito comum com crianças pequenas. Armazenar produtos de limpezas em lugares de fácil acesso para as crianças é um convite para explorar, e é aí que mora o perigo.

Não são raros os casos em que crianças conseguem abrir a embalagem dos produtos e acabam por ingeri-los, intoxicando-se gravemente.  Caso isso ocorra, a recomendação é ir com a criança imediatamente a um Pronto Socorro. Não se esqueça de que é importante levar, também, a embalagem do produto.

O ideal, no entanto, é evitar acidentes como esse, procurando sempre armazenar produtos de limpeza em lugares aos quais a criança e animais domésticos não tenham acesso, sempre no alto. Se isso não for possível, coloque trincos ou cadeados nas portas dos armários.

Quedas

Quedas são comuns em qualquer fase da vida, mas no caso de quem é idoso, uma simples queda pode se tornar um grande problema devido à fragilidade dos ossos.

Algumas medidas simples vão ajudar a prevenir essa situação:

  • Tapetes devem ser evitados, mas caso sejam indispensáveis dê preferência aos antiderrapantes que grudam no chão e não oferecem risco de escorregar ao pisar;
  • coloque corrimão nas escadas para dar apoio na hora de subir e descer;
  • barras também devem ser colocadas no banheiro ao lado do vaso sanitário e nas paredes próximas ao chuveiro;
  • deixar todos os cômodos sempre bem-iluminados também pode fazer a diferença na hora de enxergar obstáculos no caminho.

Com esses cuidados simples, sua casa pode se tornar um ambiente muito mais seguro, trazendo mais proteção para você e quem você ama. Em todo caso, é sempre bom ter garantias para quando algo acontecer, por isso não deixe de fazer um seguro residência para que você esteja resguardado de acidentes e conte com apoio a qualquer momento!

 

Fonte: Meu Porto Seguro

3 riscos do vazamento de gás

Evite os riscos trazidos por problemas nos aquecedores, no fogão ou manuseio incorreto do botijão de gás.

Explosão e incêndio

O gás é uma substância altamente inflamável, daí sua utilidade em fogões e aquecedores. Uma simples faísca é capaz de gerar uma explosão e ainda aumentar o risco de um incêndio.

Asfixia

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o GLP (ou gás liquefeito de petróleo, como também é chamado o gás de cozinha) não tem odor próprio, e o cheiro que sentimos quando há um vazamento é causado por um produto adicionado ao gás justamente para que possamos detectar quando há algo de errado. E apesar de não ser tóxico, o gás pode causar asfixia, já que respirá-lo significa inspirar menos ou nenhum oxigênio.

Aumento na conta

Além dos riscos mencionados acima, mesmo quando o vazamento é pequeno, ele aumenta sua despesa com gás, já que o GLP vazado é desperdiçado.

Aumentos significativos na conta de gás ou na frequência de troca dos botijões, portanto, podem apontar para um vazamento no local. Fique atento a sua conta para detectar se há algo de estranho, dessa forma, você pode resolver o problema antes que ele se agrave.

Como detectar o vazamento de gás

Além do aumento nos gastos com o GLP e o cheiro característico, existem outras evidências do vazamento de gás:

-Passe uma esponja com água e sabão nas conexões, se aparecerem bolhas, é sinal de vazamento.

-Feche as válvulas ou os registros perto dos aparelhos de gás e confira, durante 20 minutos, se ainda assim há algum consumo.

-Tubulações de gás enferrujadas também podem ser sinônimo de problemas.

O que fazer em caso de vazamento

Se a hipótese do vazamento for confirmada, siga os passos a seguir:

-Imediatamente, feche o registro ou a conexão de gás.

-Evite encostar em aparelhos elétricos e interruptores do local.

-Os ventiladores não podem ser utilizados de forma alguma, já que podem soltar faíscas.

-Caso seu gás seja encanado, entre em contato com seu fornecedor. Do contrário, ligue para os bombeiros pelo 193 e acione também a companhia que forneceu seu botijão.

Como prevenir o problema

A instalação de gás mal realizada é tão grave quanto a precariedade de uma rede elétrica. Para prevenir problemas, o gás, em botijão ou encanado, bem como os aparelhos que o utilizam, deve ser instalado por um profissional em um local onde haja boa ventilação para que se dissipe no caso de um vazamento. Fazer uso de gás em um lugar fechado é extremamente arriscado.

Agora que você já sabe como identificar e prevenir o vazamento de gás e conhece também os riscos que esse problema pode trazer, compartilhe as dicas com seus amigos e familiares, assim, todos ficam atentos protegidos!

Fonte: Meu Porto Seguro

A importância da Inspeção Predial

Resolvemos falar, na matéria de hoje, sobre a importância dos diversos aspectos relativos à Inspeção Predial que, infelizmente, não são, às vezes, tão valorizados quanto deveriam. Continue lendo, a seguir, e entenda o porquê, afinal, de ela ser essencial para qualquer condomínio.

É de extrema relevância zelar pelo correto funcionamento do condomínio durante o decorrer de todo o ano, dividindo as tarefas que precisam ser feitas, de acordo com a melhor época para cada execução. Mesmo não sendo tão difundida no Brasil, a Inspeção Predial é algo necessário a qualquer edifício.

As construções, com o passar do tempo, tendem a se deteriorar, o que é normal. Independente do tipo e porte do imóvel, realizar a Inspeção Predial, além de, em muitos lugares, ser exigida por lei, é uma atitude que garantirá que tudo aconteça como deve, através da prevenção.

De acordo com a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), um prédio com até 15 anos de existência tem que fazer uma inspeção, com um engenheiro especializado, a cada três anos. Para edificações de 15 a 30 anos, a inspeção precisa ser feita a cada dois anos. Já para os com mais de 30 anos, deve ser feita anualmente.

Devem ser observados, na inspeção, aspectos da construção relacionados à infiltração, corrosão, defeitos de impermeabilização, entre outros. Precisam ser procurados quaisquer defeitos nas áreas do condomínio, evitando problemas e complicações futuras mais graves.

Por tudo isso, é tão importante que as inspeções sejam feitas periodicamente e por profissionais qualificados e de confiança. Além disso, síndicos e zeladores do prédio também precisam, uma vez a cada dois meses, por exemplo, “dar uma geral”, verificando se tudo está transcorrendo normalmente no edifício.

Entre os principais aspectos e áreas que merecem maior atenção em inspeções anuais, estão:

  • Elevadores;
  • Equipamentos contra incêndios;
  • Equipamentos de segurança;
  • Instalações elétricas, hidráulicas e de gás;
  • Vazamentos nas áreas comuns;
  • Piscinas saunas e playgrounds;
  • Jardins;
  • Fachadas;
  • Terraço.

Também deve ser verificada, na parte burocrática, toda a documentação referente à comprovação da realização de serviços obrigatórios e certificações técnicas do condomínio. Então, procure um engenheiro, arquiteto, ou empresa legalmente habilitada, para que o serviço completo seja realizado.

Dessa forma, você garante a segurança dos moradores e funcionários do seu condomínio, além de ficar legalmente respaldado quanto às suas obrigações para com ele. Se você não é síndico, fale sobre esse assunto com o do seu prédio, e compartilhe com seus vizinhos esse post realmente relevante.

O que você precisa saber sobre Danos Elétricos

Os danos elétricos são a fonte das principais ocorrências de sinistros nos condomínios brasileiros. Esses problemas são perigosos, pois, além de danos materiais, podem gerar sérios problemas aos moradores e frequentadores dos edifícios. Por isso, resolvemos abordar esse tema no post de hoje. Confira!

Muitos dos acidentes relacionados aos danos elétricos acontecem porque o brasileiro, de forma geral, não tem o hábito de fazer a manutenção periódica e preventiva do sistema elétrico. As pessoas acabam esquecendo que o sistema elétrico tem prazo de validade, podendo provocar incêndios com a falta de manutenção.

Independente do tipo e tamanho do local em questão, é importante que uma avaliação anual seja feita, verificando fiações (principalmente as antigas), tanto dos fios rígidos, como dos mais maleáveis – além de vários outros elementos que compõem o sistema. Dessa forma, são evitados muitos acidentes.

Um dos erros mais frequentes é o uso incorreto das tomadas, quando se utilizam vários aparelhos numa mesma tomada elétrica, o que pode gerar a sobrecarga de energia, causando incidentes, que podem ser graves. Ou seja, uma simples atitude pode ser muito perigosa, e muitas pessoas não têm noção disso.

Portanto, o síndico precisa manter as instalações elétricas em dia, e deve utilizar mecanismos de segurança que evitem certos danos elétricos, protegendo os moradores e funcionários. E, nesse contexto, a manutenção periódica se destaca, devendo ser feita com profissionais adequados.

Além disso, é importante observar as questões legais relacionadas ao assunto, cumprindo todas, evitando que o condomínio seja multado, ou, muito pior, que algum acidente grave aconteça. É necessário que as construções tenham um projeto elétrico, além do fio terra.

E algo que também é muito importante é realizar reuniões, tanto com moradores, como com os funcionários do condomínio, a fim de esclarecer alguns aspectos relacionados a esse assunto, promovendo a prevenção de acidentes, com palestras e/ou cursos, que podem ser realizados no próprio condomínio.

E então, o que você achou das informações que trouxemos na matéria de hoje? Esperamos que tenha gostado e que tenham servido para enaltecer a importância da manutenção preventiva que deve ser feita, periodicamente, nos sistemas elétricos. Qualquer dúvida, nos pergunte!

Dicas de combate e prevenção a incêndios

Os incêndios são um dos acidentes domésticos mais recorrentes. Independente da causa, quando ocorrem costumam destruir muita coisa, além, é claro, de serem extremamente perigosos para quem estiver no local. Por isso, resolvemos abordar esse tema no post de hoje, com dicas de prevenção a incêndios. Confira!
Não sobrecarregue as instalações elétricas, superaquecendo os fios e potencializando os riscos de iniciar um incêndio. Evite ligar muitos aparelhos na mesma corrente elétrica.

Confira se os extintores de incêndio encontram-se na validade e em boas condições de uso – ressaltando que há diferentes tipos, de acordo com o tipo de incêndio.

Não deixe tapetes e cortinas perto de fios elétricos. Caso ocorra um curto com os fios e haja materiais inflamáveis por perto, o incêndio se alastrará numa velocidade muito maior.

Se você gosta de velas, deve tomar muito cuidado. Elas podem ser um charme, porém propiciam grandes danos. Ao ascendê-las, certifique-se que estão bem longe de materiais que possam pegar fogo, além de apoiá-las em suportes específicos.

Caso você fume, preste atenção onde coloca as bitucas de cigarro, pois um cigarro mal apagado, em contado, por exemplo, com papéis, pode iniciar um grande incêndio.

Se for possível, armazene o botijão de gás do lado de fora da residência, pois, caso ocorra algum vazamento, a chance de começar um incêndio será reduzida.

Se você possui aquecedor, deixe materiais como plástico e papel a, pelo menos, um metro de distância.

Caso more num prédio, pesquise sobre a instalação de portas corta fogo em pontos estratégicos, conferindo, periodicamente, se elas estão em bom estado.

Esperamos que, com as informações que trouxemos na matéria de hoje, você consiga se prevenir de incêndios. Caso presencie algum incêndio, deve manter a calma, e, antes de qualquer coisa, ligar para os bombeiros (193). Tape o nariz com um pano úmido e tente sair do local o mais rápido possível. #FicaADica ☺